Logosocioambiental

 

youtubeicontwittericonfaceicon

 

Metade das doações para campanha do agasalho precisa de reparos

Antes do início oficial do inverno, a Doe Calor, campanha do agasalho da Prefeitura de Curitiba, realizada pela Fundação de Ação Social (FAS) e Instituto Pró-Cidadania, já fez 19.181 atendimentos a pessoas em situação de risco e vulnerabilidade social na cidade em seu primeiro mês de realização. Quem recebe as roupas doadas pelas população e por empresas são famílias em situação de vulnerabilidade social, entidades sociais e usuários da assistência social de equipamentos da prefeitura.
No total já foram repassados 4 mil cobertores novos e mais de 33 mil peças de roupas. Além disso, até o momento, 570 pontos de coleta estão ativos. Porém, mesmo com o grande volume de peças recebidas, muito do que está sendo doado não está em condições de uso.
“Mais da metade do que recebemos neste mês teve que ser mandado para manutenção ou lavagem, o que faz com que o tempo de espera das pessoas que precisam ser atendidas aumente”, afirmou o coordenador do Disque Solidariedade, da FAS, Luis Carlos Costa. O Disque Solidariedade é o serviço que recebe as doações, separa as peças (por gênero, faixa etária e tamanho) e as encaminha para as unidades de atendimento e entidades sociais.
Segundo Costa, as peças que não passam pela triagem apresentam rasgos, que impossibilitam o uso da roupas, manchas impossíveis de serem removidas e até mesmo sapatos doados com um único pé. “Tivemos casos onde encontramos até fezes de animais no meio das roupas e outras que pela armazenagem inapropriada estavam úmidas e emboloradas. Por isso, reforçamos que, antes de doar, a pessoa se pergunte: eu doaria essa peça para um amigo ou alguém da família?”, orientou o coordenador.
O superintendente do Pró-Cidadania, Gerson Guelmann, lembrou que como a demanda de atendimento é grande a população precisa continuar doando. “Contamos com a solidariedade dos curitibanos e estamos tendo resposta. As pessoas se sensibilizam com a causa. A grande novidade deste ano é que, além de deixar as doações nos pontos de coleta, é possível contribuir com a Doe Calor pela internet, pelo aplicativo Groovin. Todo o valor arrecadado será utilizado na compra de cobertores novos”, diz.
Outras formas de contribuir
Interessados em se tornar um ponto de coleta da Doe Calor devem entrar em contato com o Instituto Pró-Cidadania pelo telefone (41) 3040-1500. O Pró-Cidadania se responsabiliza pelo encaminhamento do material e também pela coleta das doações.
Empresas também podem participar por meio da aquisição de cotas corporativas, que são revertidas em vales-cobertores. Pessoas físicas podem adquirir os vales-cobertores, no valor de R$ 10, nas lojas Leve Curitiba. Endereços: Parque Tanguá, Ópera de Arame, Jardim Botânico, Centro (próximo à Praça Tiradentes, na Rua Monsenhor Celso, 31), Rodoferroviária, Aeroporto Internacional Afonso Pena, Mercado Municipal, Zoológico, Torre Panorâmica e Largo da Ordem.
Doações de quantidades maiores de roupas e cobertores, assim como de móveis e eletrodomésticos em bom estado de uso, podem ser feitas ao longo de todo o ano pelo Disque Solidariedade, serviço gratuito da Prefeitura de Curitiba solicitado pela Central 156.
 
Mais informações: www.doecalor.com.br

Universo Contado promove capacitação para educadores

Nesta quarta-feira (15) aconteceu mais uma etapa dajornada Universo Contado, projeto desenvolvido pelo Pró-Cidadania.Uma oficina de contação de histórias foi ministrada em dois turnos com duas turmas diferentes pelo ator, palhaço e contador de histórias Carlos Moreira. Educadores de diversas instituições sociais estiveram presentes e aprenderam mais sobre a arte de contar histórias e a importância da leitura e da literatura.
 
Rosilda Rosowski,educadora do Sesc-PR, conta que ainda não conhecia a Jornada Universo Contado e estava participando pela primeira vez. “Achei muito bacana o projeto, esse incentivo a leitura e a contação de histórias é muito importante para todos, o Instituto está de parabéns por essa oportunidade que estão dando para nós”, diz.
 
Para Carlos Moreira, responsável por ministrar a oficina, ter um projeto que apoia a formação e a discussão dentro da educação é muito importante. “O Universo Contado permite a amplitude no olhar e uma mudança na forma de ensinar.Na oficina a gente passa 4 horas discutindo e aprofundando o que é narrativa, contação de histórias, formação do leitor e mediação de leitura, coisas fundamentais nesse contexto”, conclui.
 
Universo Contado
O Universo Contado busca incentivar a leitura nas escolas, introduzir o livro como instrumento de transformação social e apresentar formas criativas de aproximar a literatura das crianças e adolescentes. Dentro da programação do projeto está ainda o incentivo a oficinas de contação de histórias; e a reforma, adequação ou criação de bibliotecas para as entidades.
 
Cintia Scoriza Matias, monitora de projetos do Pró-Cidadania, comenta sobre a importância deste projeto. “O trabalho da literatura em nossas vidas é mais do que juntar palavras, o Universo Contado mostra que a contação de histórias tem um papel fundamental no desenvolvimento do ser humano e é algo que precede a própria literatura”.
 
No total, o projeto beneficia duas mil crianças em adolescentes em 27 organizações não governamentais de Curitiba, que atuam em diferentes regiões da cidade.

Lances para o leilão das peças da CapiParade terminam nesta quinta (16)

capiparade

A Capi Parade, exposição de esculturas em fibra de vidro no formato das famosas capivaras curitibanas e pintadas por diferentes artistas e personalidades, abriu o leilão das suas oito peças. Depois do período itinerante, que percorreu a Boca Maldita, Praça Santos Andrade, Praça Rui Barbosa, Jardim Botânico, Mercado Municipal e Parque Barigui , quem se interessar pelas obras de arte pode dar os lances pelo site http://www.kronberg.com.br/leilao/detalhe_leilao/1998.

Todo o valor arrecadado no leilão, inclusive o cachê do leiloeiro Helcio Kromberg, será direcionado para a compra de cobertores novos para a campanha do agasalho Doe Calor, da Prefeitura de Curitiba realizada através da Fundação de Ação Social e do Pró-Cidadania.

O martelo pelo valor final das esculturas será batido nesta quinta-feira (16), às 19h30, em evento no Shopping Palladium. De acordo com o gerente de ação social do Pró-Cidadania, Rodolfo Schneider, a expectativa de arrecadação é grande. “Até o momento oito lances já foram dados e já temos uma arrecadação mínima de 400 cobertores novos, que serão entregues a quem mais precisa na cidade. Contamos com a solidariedade dos curitibanos, que além de investirem em uma peça de arte, vão contribuir com a maior campanha do agasalho”, explica.

A Capi Parade

Inspirada na tradicional exposição de vaquinhas da Cow Parade, a Capi Parade tem oito capivaras feitas de fibra de vidro em tamanho maior que o natural, medindo 1 metro de altura por 1,5 m de largura, pintadas por personalidades especialmente convidadas.

Os responsáveis pela arte são os artistas plásticos locais Dani Henning e Di Magalhães; o humorista Diogo Portugal; o arquiteto e urbanista Jaime Lerner; e designers da ProDesign PR. Também o conceptual artist Luiz Pagano, o cenógrafo e artista plástico Juarez Fagundes, ambos de São Paulo; e o artista plástico Willian Batista. Esse último pintou sua capivara em homenagem ao rei Pelé. Por isso, quem arrematar a sua peça também ganhará uma camiseta oficial autografada pelo ídolo do futebol.


O Pró-Cidadania

O Pró-Cidadania – Instituto Socioambiental é uma associação civil sem fins lucrativos e que atua há mais de 30 anos em Curitiba.
Seu trabalho é amplamente reconhecido por ser um grande agente de planejamento e articulação. Tem como objetivo o desenvolvimento da sociedade visando a convivência sustentável entre homem e meio ambiente. Dessa forma, desenvolve projetos em ecossistemas urbanos, cultura e boas práticas e ação individual. Por meio de campanhas e ações, faz, anualmente, mais de 500 mil atendimentos a pessoas em situação de risco e vulnerabilidade social na cidade.

O Instituto também administra a Unidade de Valorização de Recicláveis (UVR), que recebe parte dos recicláveis da capital; e a rede de lojas Leve Curitiba, de souvenirs e artesanato.

Inscrições abertas para capacitação gratuita sobre “Legislação do Terceiro Setor”

A segunda fase do Eureka, projeto que tem por objetivo apoiar e capacitar organizações do terceiro setor, já foi anunciada e o primeiro módulo está com inscrições abertas. Acontecerá no dia 23 de junho, das 8h30 às 17h30, no Hotel Slaviero Rockefeller e o tema é “Legislação do Terceiro Setor”. 
São 40 vagas e as inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site do Pró-Cidadania (www.ipcc.org.br/ projeto-eureka-ipcc). O projeto Eureka é composto por um programa de capacitações voltado a profissionalização de instituições do terceiro setor que estejam devidamente cadastradas no Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS) e Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (COMTIBA). As capacitações buscam estimular o conhecimento de práticas que favoreçam o desenvolvimento social e organizacional das instituições.
Para estre primeiro módulo da nova etapa foram escolhidos cinco palestrantes especialistas em suas áreas de atuação: Fernanda Andreazza (Origem, constituição e qualificação do Terceiro Setor e Sugestões para uma boa governança coorporativa), Inaiá Botelho (Tributação no Terceiro Setor), Lucas Otsuka (Terceiro Setor como Empregador), Gilson Goulart Jr (Aspectos gerais de contratos), Marlus Arns de Oliveira e Mariana Michelotto. (Criminalização do Terceiro Setor).
Eureka 1
 
A primeira fase do Eureka iniciou no ano passado e terminou em abril de 2016. Foram oito módulos de capacitações. Todos os cursos foram gratuitos e 91 instituições sociais foram beneficiadas. No total, o Eureka atendeu mais de 300 pessoas, auxiliando as organizações sociais participantes no desenvolvimento de práticas relacionadas à autonomia e eficiência dos processos de gestão. 
Todos os cursos foram ministrados por especialistas em seus respectivos temas (abaixo a lista de palestrantes que passaram pelo Eureka 1). De acordo com o gerente de ação social do Instituto, em cada módulo buscou-se fortalecer as ONG´s. “Focamos em as áreas de planejamento, monitoramento, gestão financeira e administrativa, de forma a atender as demandas e desafios diários de cada instituição”, explica. O Pró-Cidadania é o idealizador do Eureka. 
Para Rafael Miranda, representante do Centro de Prevenção e Recuperação Precavvida. O Eureka transformou os trabalhos da sua organização. “Através das ministrações que foram realizadas, nossa instituição está mais organizada, mais profissional, tanto no que se refere à gestão, como no trato com os assistidos, os impactando de forma direta”.
Para Elenice Cordeiro, Gestora da Associação Solidários Pela Vida – Sovida, um dos fatores mais importantes do projeto foi a o oportunidade de ampliar o número de contatos e conexões. “Uma conquista que obtivemos a partir do Projeto Eureka foi à troca com outras Organizações da Sociedade Civil (OSC) de “produtos recebidos em excesso”, ou seja, nada mais é perdido seja no sentido de alimentos ou roupas”, comenta.
Palestrantes e oficinas 
Captação de Recursos – Marcelo Straviz 
Gestão organizacional de entidades sociais e gestão de pessoas – Janine Massolin
Elaboração de Projetos Sociais – Adriana Maria Bigliardi 
Elaboração de Planejamento Estratégico e Ferramentas de implantação – Michel Freller
Avaliação de Projetos e Impacto Social | Metodologia Project Model Canvas – Daniele Farfus
Gerenciamento e Controle da Execução de Projetos Sociais – Liziane Dranka 
Políticas públicas e garantia de direitos – Jucimeri Isolda Silveira e Alexandre Macedo
Marco Regulatório – Ana Carolina Carrenho
Desenvolvimento comunitário e trabalho com famílias – Maria Iannarelli 
O Pró-Cidadania 
O Pró-Cidadania – Instituto Socioambiental é uma associação civil sem fins lucrativos e que atua há mais de 30 anos em Curitiba.
 
Seu trabalho é amplamente reconhecido por ser um grande agente de planejamento e articulação. Tem como objetivo o desenvolvimento da sociedade visando a convivência sustentável entre homem e meio ambiente. Dessa forma, desenvolve projetos em ecossistemas urbanos, cultura e boas práticas e ação individual. Por meio de campanhas e ações, faz, anualmente, mais de 500 mil atendimentos a pessoas em situação de risco e vulnerabilidade social na cidade.
O Instituto também administra a Unidade de Valorização de Recicláveis (UVR), que recebe parte dos recicláveis da capital; e a rede de lojas Leve Curitiba, de souvenirs e artesanato.
 

UK betting sites, view full information Best UK betting sites bookamkers